Eletrofisiologia

Durante os exames de eletrofisiologia ocular no diagnóstico oftalmológico, eletrodos específicos são colocados em locais apropriados ao longo da via visual para medir as respostas provocadas pela luz quando esta estimula o olho.

Exame PVE de Varredura
É um exame oftalmológico altamente especializado com a finalidade de avaliar a visão de detalhes (que é a acuidade visual). É solicitado para avaliar a visão (acuidade visual) em suspeita de doença ocular ou perda visual.
O exame mede a atividade elétrica cerebral enquanto enxergamos. É uma ferramenta extremamente útil em várias doenças oculares para detectar e principalmente acompanhar a baixa visão.
Esse exame é indicado a partir de 1 mês de idade e não há limite máximo.
O exame é parecido com um eletroencefalograma (EEG), mas com captação específica das respostas da região occiptal (área visual). Os eletrodos de pele são fixados com pasta condutora no couro cabeludo. O paciente é posicionado em frente a estímulos quadriculados ou listrados apresentados em um monitor, enquanto são captadas as respostas elétricas cerebrais. O paciente deverá estar de óculos, caso tenha sido prescrito pelo oftalmologista. Não há necessidade de sedação e nem de dilatação das pupilas.

PVE (potencial visual evocado) por padrões

A eletrofisiologia visual realiza o registro de minúsculos sinais elétricos gerados pela complexa rede de processos fisiológicos que resultam na percepção de um objeto. A luz que cai na retina é convertida em pequenos sinais elétricos que, somados, sofrem interações e depois são conduzidos para o córtex visual, a área do cérebro que processa a visão.
Para realizar o exame, eletrodos de pele são posicionados na cabeça e o paciente é posicionado em frente a uma cúpula que emite flashes luminosos para a avaliação do processamento visual de luz.
O PVE por FLASH e por padrões reversos (o CBCO tem os dois) permite ainda o uso de cadeiras de rodas e cadeiras utilizadas para pacientes com paralisia cerebral. Temos cúpula móvel para crianças que permite fazer o exame no colo do responsável.
O exame é realizado sem dilatação das pupilas, é não invasivo e indolor. Não é feito sedação.

PVE por varredura ou (sweep)

ERG (eletrorretinograma) campo total (com anestesia)

eletrodo-com-filamento-ouro
Utilizamos eletrodos importados com filamentos de ouro para um sinal mais puro e fidedigno (imagem: Eletrodo no olho quando o exame é feito por anestesia. O detalhe do filamento de ouro). No ERG analisamos as respostas elétricas principalmente dos cones e dos bastonetes que são células da retina que podem estar diminuídos nas distrofias retinianas, como retinose pigmentar, distrofias de cones, amaurose Congênita de Leber, DUSN entre outras.
erg-campo-total
Adaptação ao claro do ERG campo total (imagem).

ERG multifocal
A imagem mostra parte do exame ERG campo total com avaliação dos bastonetes. A luz vermelha é utilizada para não ativar os bastonetes. Nosso equipamento tem uma câmera onde observamos cada movimento do paciente.

cupula-movel-com-anestesia-geral
1. A câmera para controle do paciente que está com o queixo na cúpula de estímulo.

erg-multifocal
(imagem)
Traçados da resposta eletrofisiologia do erg multifocal em maculopatia a esclarecer.

EOG – O EOG estudamos de forma individualizada

EPR (epitélio pigmentar da retina) que também pode estar alterados nas doenças retinianas.

VEP que mede a acuidade visual em crianças pré verbais ou pacientes que não informam devido distúrbios neurológicos como paralisia cerebral, AVC entre outros.

Também fazemos o teste de adaptação ao escuro. É um aparelho novo que trouxemos e o Dr. Luís Alexandre está realizando os exames. Temos também o teste de cores. Todos eles fazem que o nosso serviço seja o mais completo do Brasil

exame-multifocal

imagem – Exame multifocal em crianças. Usamos o monitor com x como ponto de fixação. Exame indolor. Não é necessário sedação. Feito após dilatação das pupilas e adaptação ao claro. Neste monitor projetaremos hexágonos que produzirão o estímulo elétrico a ser analisado.

O PERG – eletrorretinograma por padrões
O eletrorretinograma por padrões (PERG) é uma resposta eletrofisiológica obtida por estimulação da retina central devido a mudanças no contraste de estímulos estruturados (tabuleiros de xadrez ou grades pretas e brancas) com luminância constante. O PERG é uma ferramenta clínica diagnóstica que requer fixação central, permitindo a avaliação objetiva da função macular e também das células ganglionares da retina. As principais indicações deste exame são as disfunções maculares (distrofias maculares, envolvimento macular em doenças retinianas como retinose pigmentária, distrofia cone-bastonete), as doenças do nervo óptico (doenças desmielinizantes, compressão do nervo óptico, atrofia óptica) e glaucoma. É útil também em casos de baixa visual não orgânica, como simulação de perda da visão e nos casos de rastreamento para os hipertensos oculares. Tem sido usado tanto na prática clínica como em pesquisa, com utilidade nas áreas de oftalmologia e neurologia.
Esse exame quase não é pedido pelos oftalmologistas por não saberem que tem no CBCO.

cupula-movel-com-anestesia-geral

Exame feito com anestesia geral mostrando a cúpula móvel e que se adapta a diferentes posições como deitados ou no colo dos pais (imagem). Sala com equipamentos mais modernos para realizar anestesia e o exame de eletrofisiologia.

crianca-exame-pve

Criança sentada sozinha fazendo exame PVE (imagem)

erg-campo-total

Cúpula que realiza o ERG e EOG (paciente Dra. Letícia Dourado): a mesa é adaptada para cadeira de rodas e se movimenta em diversas alturas para melhor conforto do paciente (imagem).


Gostou da matéria ou tem alguma dúvida? Deixe abaixo seu comentário.


Outros Exames

26/04/2016
Ultrassonografia A e B scan
26/04/2016
Biometria
06/02/2018
Mapeamento de Retina
Todos os direitos reservados © 2016 - CBCO - Centro Brasileiro de Cirurgia de Olhos